Pesquisas realizadas

Nossas atividades e experiências de investigação têm uma trajetória de duas décadas, com vinculação ao observatório de Violências nas Escolas PUCPR e à Cátedra Unesco Juventude, Educação e Sociedade. Os estudos do grupo têm como foco os direitos humanos, esboçam possibilidades de prevenção e intervenção nos fenômenos das violências no espaço escolar, mediante efetivação de políticas e práticas orientadas nos direitos humanos.  As pesquisas têm problematizado questões da garantia de direitos, das práticas curriculares inclusivas em diálogo com a diversidade, da avaliação emancipatória, da educação em direitos humanos, do direito à educação, da formação de professores. E, mais recentemente, temos incluído nos estudos aspectos do direito à educação e do direito à saúde da infância em contextos de pobreza infantil, para contribuir com a formação de profissionais da educação e da saúde que atuam na garantia de direitos da infância.

   

As investigações desenvolvidas enfatizam as violências institucionais da e na escola, advindas, sobretudo, do campo do currículo e da avaliação educacional. Nas pesquisas, as violências nas escolas são problematizadas, trazendo para a discussão a triangulação entre dados empíricos, traços das políticas educacionais e argumentação sistematizada por autores que estudam a temática. Nas políticas educacionais das últimas décadas   observam-se contradições que as atravessam e produzem tensões, incidindo na garantia ou violação de direitos nas escolas. A evidência dessas contradições é perceptível nas diretrizes políticas de currículo e de avaliação, enquanto as primeiras, do currículo, adotam o princípio da diversidade, da garantia de direitos, as segundas, da avaliação, estão marcadas pelos traços da meritocracia, da padronização. Os traços dessas contradições ecoam nas manifestações dos sujeitos ouvidos nas pesquisas realizadas. Assim, a educação em direitos humanos que promove o diálogo com grupos infantis e juvenis se constitui forte possibilidade para ressignificar a escola como espaço de garantia de direitos e justiça, mediante convivência com a diversidade e na diversidade nas práticas curriculares, na perspectiva da interculturalidade crítica.  

Projetos desenvolvidos produções vinculadas